Escolha uma Página

Ande pela sala da sua casa agora mesmo e preste atenção em seus braços. Não há dúvida de que eles estão balançando ao seu lado. Mas se você pegasse o ritmo e começasse a correr, provavelmente dobraria os braços no cotovelo.

Correr com os braços flexionados e caminhar com os braços estendidos é o que a maioria de nós fazemos, mas até recentemente os cientistas não sabiam o porquê disso.

Para descobrir, Andrew Yegian e seus colegas pesquisadores de Harvard, tinham oito voluntários caminhando e correndo em uma esteira com os braços esticados e curvados.

Seis dos participantes usavam máscaras de oxigênio para registrar quanto oxigênio usavam.

Pesquisadores rastrearam todos os movimentos dos voluntários usando marcadores reflexivos em seus ombros, pulsos e cotovelos.

A equipe previu que era mais eficiente ter braços retos durante a caminhada e os braços flexionados durante a corrida, mas eles estavam apenas com metade da resposta.

Eles descobriram que caminhar com os braços dobrados consumia mais energia do que caminhar com os braços retos, aumentando o consumo de oxigênio em 11%. Mas, surpreendentemente, correr com os braços flexionados não era mais eficiente do que correr com os braços estendidos.

“Quase todos os sujeitos do estudo disseram que a corrida com os braços estendidos, era a condição mais desafiadora”, disse Yegian à New Scientist. “É por isso que foi muito surpreendente quando não conseguimos encontrar nenhuma diferença na energética”.

O estudo, que foi publicado no Journal of Experimental Biology, envolveu estudantes que variavam de maratonistas àqueles que corriam apenas algumas vezes por semana.

Tem Que Haver Um Motivo

Os pesquisadores dizem que não sabem por que geralmente dobramos nossos braços quando corremos. Yegian diz que acha que tem que haver alguma razão benéfica. Pode ser porque dobrar os braços ajuda a estabilizar a cabeça.

E como a pesquisa foi conduzida apenas em baixas velocidades, não deu para concluir o motivo de dobrarmos os braços quando corremos. O benefício de dobrar o braço pode ser mais óbvio em velocidades mais altas.

Yegian planeja fazer mais testes para descobrir.

Ele disse ao The Guardian: “Temos uma boa ideia agora, que a energia é o motivo pelo qual mantemos os braços retos quando estamos caminhando e provavelmente há uma razão específica para dobrar os braços durante a corrida”.