Escolha uma Página

Correr uma Maratona é fácil. Difícil é abdicar do lazer em prol de um objetivo, buscar motivação a cada dor que aparece no corpo, dormir as 22:30 horas na sexta-feira e sair as 05 horas da manhã para fazer um treino de 30km em pleno sábado, depois de já ter corrido, pelo menos, mais 30km durante a semana, sem contar tudo que você é obrigado a escutar nesse meio tempo, de pessoas indesejadas e de pessoas que você gosta.

Correr uma Maratona é mole!!

Essa foi a legenda que coloquei em uma foto no meu feed do Instagram, e é a mais pura verdade. Digo isso, agora, com conhecimento de causa.

Os Treinos

Essa é a pior parte do processo. Eu odeio treinar, más entendo a necessidade dele. Se não treinar, não corre. A equação é simples.

No meu caso, optei por montar a planilha de treinos de corrida e de fortalecimento muscular, apenas pesquisando na Internet. E encontrei muita informação de qualidade.

Há alguns meses, postei um artigo contando como seria a minha preparação.

Acontece que, no meio do ciclo de treinos para a Maratona do Rio, eu senti a necessidade de mudar um pouco o planejamento. Procurei escutar o meu corpo e fui encaixando os treinos semana a semana, conforme ele me permitia.

Se você quer se preparar para correr uma Maratona ou Meia Maratona, que seja, não faça como eu fiz! Busque uma consultoria na sua cidade, com profissionais especializados. Eles vão saber, exatamente, te orientar nos treinos e nas dores, caso apareçam.

Leia Também: Como Se Preparar Para Uma Meia Maratona (12 Dicas).

A Execução

E, afinal de contas, como eu treinei para a Maratona?

No início do processo:

  • Segunda-feira: Treino de corrida – 10km.
  • Terça-feira: Treino de fortalecimento muscular.
  • Quarta-feira: Treino de corrida – 10km.
  • Quinta-feira: Descanso.
  • Sexta-feira: Treino de fortalecimento muscular.
  • Sábado: Treino de corrida – 15km.
  • Domingo: Descanso.

Faltando, mais ou menos, 4 meses para a Maratona do Rio, eu senti a necessidade de aumentar um pouco a quilometragem dos treinos. E é ai que eu precisei fazer ajustes, porque comecei a sentir que meu corpo estava “pedindo arrego”.

Então, a cada semana, eu variei os treinos, mas basicamente ficou assim.

No final do processo:

  • Segunda-feira: Treino de fortalecimento muscular.
  • Terça-feira: Treino de corrida – 10 ou 15km.
  • Quarta-feira: Descanso.
  • Quinta-feira: Treino de fortalecimento muscular.
  • Sexta-feira: Descanso.
  • Sábado: Treino de corrida – 21 ou 30km.
  • Domingo: Descanso.

Algumas semanas, eu diminuía a intensidade dos treinos de fortalecimento muscular e incluía mais um treino de corrida (10 ou 15km), no lugar de um dia de descanso. Sempre buscando ouvir e sentir o que meu corpo pedia.

Realmente não foi fácil fazer tudo sozinho, assim. Modéstia a parte, se não fosse a minha disciplina e determinação gigantesca, eu teria desistido da Maratona.

O Psicológico

Apesar de nunca ter corrido uma Maratona, até então, eu falava para todo mundo que o psicológico era o que ia determinar o meu sucesso ou não durante a prova.

Agora que sou, oficialmente, um Maratonista, posso afirmar com certeza que o que manda é a Cabeça.

O processo de conciliar os treinos, com a vida pessoal e o trabalho, mexe bastante com o Psicológico da gente.

Durante a preparação, há dias que você não quer pensar em treinar, outros dias o tempo está muito apertado, estresse, confusão, trânsito, família, lazer, etc. Hoje posso falar que, no final das contas, tudo isso é um tempero especial pro sabor da vitória.

O importante é treinar. Pode cair o mundo, seu psicológico tá uma bosta, você foi demitido, mas não deixe de treinar. Inclusive, treinar vai te fazer esfriar a cabeça e relaxar. Vai por mim.

Voltando ao meu psicológico, o último mês foi o mais desafiador. Estava muito ansioso e um pouco de saco cheio de treinar, treinar e treinar. Mas consegui manter o foco e seguir com o planejado, até o dia da Maratona.

Leia Também: 8 Truques Mentais Para Correr Melhor.

Maratona Do Rio

Foi exatamente como eu visualizei na minha mente, em todos os detalhes. Exatamente como eu treinei.

O Percurso da prova foi, realmente, espetacular. Passou por todos os principais pontos turísticos do Rio de Janeiro e as DJ’s em lugares estratégicos, deu um astral especial pra Maratona.

A estrutura e organização do evento foram impecáveis. Parabéns a Maratona do Rio 2019 por tudo que proporcionou aos atletas do mundo inteiro que estavam presentes.

A Prova

Minha meta era finalizar a Maratona abaixo de 4 horas. Para isso, eu deveria manter um PACE inferior a 5′ e 45”/km.

Durante meus treinos mais longos, de 30km, eu vinha conseguindo fazer um PACE de 5′ e 19”/km em média.

Apesar de nunca ter corrido, até então, mais do que 30km, eu sabia que conseguiria manter esse ritmo e realizar a minha meta, porque acima dessa distância, não tem mais preparação. É só a Cabeça que manda.

Como eu disse no início, correr a Maratona é fácil, o difícil é treinar.

Durante a prova é hora de curtir a energia da galera, o visual do Rio de Janeiro e presenciar a superação de cada um. Quando eu vi já era 22, 23, …, 27, 28km.

A partir dos 32km minhas costas começou a doer, e ficou muito difícil para puxar o ar. Mas ali eu sabia que era a hora da minha superação. Eu olhava para os atletas, e todo mundo estava no mesmo barco, cada um com sua superação pessoal, e ai não tem como parar.

É indescritível a sensação de avistar a linha de chegada no último km. Minhas dores sumiram na hora, parece que foi o km mais fácil que eu já corri na vida. A energia foi surreal. Uma experiência que vou lembrar sempre.

Enfim, completei a minha primeira Maratona e corri abaixo das 4 horas.

Valeu a pena, TUDO!!